top of page

Problema no sensor ou na roda fônica?

Atualizado: 7 de set. de 2023

Os pilotos de osciloscópio que são experientes certamente já se depararam com algum tipo de anomalia no sinal gerado por um sensor de rotação indutivo. A anomalia está lá, mas como saber quando o problema é no sensor ou na roda fônica?

Hoje mostraremos um exemplo de roda fônica (disco dentado) que está excêntrico ao eixo virabrequim.

Um sinal de rotação padrão, sem desvios, pode ser visualizado nesta imagem. Note que tanto os pontos mais altos (picos) como a parte mais baixa (vales) possuem tamanhos bem semelhantes.


Um exemplo típico de falha de excentricidade, ou seja, o eixo da roda fônica está diferente do eixo do virabrequim, pode ser visto na imagem abaixo. Uma característica do sensor indutivo é que por fenômenos físicos, ele gera o próprio sinal. A amplitude ou a tensão de pico-a-pico depende de vários fatores, dentre eles, a distância do sensor ao dente da roda fônica.

Quando os dentes estão mais próximos da roda fônica, maior é a tensão gerada e o sinal "cresce" na tela. Quando os dentes estão mais afastados do sensor, a amplitude do sinal diminui. Então percebemos uma característica no sinal, como se fosse uma espécie de "sanfona".

Para os mais experientes, este tipo de diagnóstico pode até parecer trivial. Para quem está começando, pode haver uma confusão. Mas explicar isto para seu cliente é uma missão um pouco complicada...

Mostraremos uma função interessante do analisador de motor ucraniano USB AUTOSCOPE IV. Um analisador de motor profissional difere de um osciloscópio comum por alguns fatores como: acessórios e software. Este equipamento conta com funções especiais de software que chamamos de Scripts de Shulgin. Script nada mais é um programa que roda

dentro de outro programa, um algoritmos com funções especiais. Shulgin vêm do nome do inventor da tecnologia, o Andrew Shulgin, um mecânico-eletricista-programador proprietário de uma oficina Bosch Car Service situada na Ucrânia.

O algoritmo desenvolvido por ele é capaz de identificar com precisão uma misfire e a causa dela. Além disto, o algoritmo também é capaz de desenhar os dentes da roda fônica de acordo com o padrão de sinal recebido, determinar se há dentes desgastados, amassados ou mal usinados. Também é capaz de dar um diagnóstico sobre a roda fônica: se existe uma excentricidade e ainda é capaz de testar a força do campo magnético do sensor CKP(abreviação do nome do sensor de rotação, em inglês).

No caso da imagem acima, há uma linha verde que representa a intensidade do sinal do sensor CKP. Pode-se notar que a linha de desloca dentro da "faixa verde" que representa simplesmente um "range", ou seja, valores esperados da intensidade do sinal. Por vezes, a linha verde toca a borda interna da faixa verde e por outras, há uma tendência da linha verde querer tocar a borda externa da faixa. O que foi visto na imagem do osciloscópio, o script CSS de Shulgin desenhou na forma de um gráfico explicativo, mostrando não somente a excentricidade mas também os dentes da roda fônica (em preto) e a qualidade dos dentes (em vermelho).

Podemos concluir que um analisador de motor tem por objetivo mostrar detalhes, relatórios, gráficos que possam ser usados para agilizar o diagnóstico e claro, vender serviços. Até a próxima!





124 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page